Skip to content
Metodologia Científica

Pesquisa Explicativa

Pesquisa explicativa

A pesquisa explicativa pretende determinar as causas dos eventos, os acontecimentos ou fenômenos estudados. Os estudos explicativos querem encontrar as razões ou as causas que provocam certos fenômenos.

Que é Pesquisa Explicativa?

A pesquisa explicativa é aquela que, além de registrar e analisar os fenômenos estudados, busca identificar suas causas, seja através da aplicação do método experimental/matemático, seja através da interpretação possibilitada pelos métodos qualitativos. (SEVERINO, 2016).

Outros conceitos de Pesquisa Explicativa

A pesquisa explicativa é um tipo de pesquisa mais complexo, pois, além de registrar, analisar e interpretar os fenômenos estudados, procura identificar seus fatores determinantes, ou seja, suas causas. (ANDRADE. 2017).

Pode-se dizer que o conhecimento científico está assentado nos resultados oferecidos pelos estudos explicativos. Isso não significa, porém, que as pesquisas exploratórias e descritivas tenham menos valor, porque quase sempre constituem uma pesquisa prévia indispensável para que se possam obter explicações cientificas. Uma pesquisa explicativa pode ser a continuação de outra descritiva, posto que a identificação dos fatores que determinam um fenômeno exige que este esteja suficientemente descrito e detalhado.

Segundo Gil (2019), as pesquisas explicativas nas ciências naturais valem-se quase exclusivamente do método experimental. Nas ciências sociais, a aplicação deste método reveste-se de muitas dificuldades, razão pela qual se recorre também inclusive a outros métodos, como o método observacional. Nem sempre se torna possível a realização de pesquisas rigidamente explicativas em ciências sociais, mas em algumas áreas sobretudo da psicologia, as pesquisas revestem-se de elevado grau de controle, chegando mesmo a ser chamadas “quase experimentais”.

A pesquisa explicativa visa aprofundar o conhecimento da realidade, indo em busca da razão, do porquê das coisas. Uma pesquisa explicativa pode ser a continuação de uma pesquisa exploratória ou de uma pesquisa descritiva, já que a identificação dos fatores que determinam um fenômeno, exige que estes sejam devidamente explicados. A pesquisa explicativa nas ciências naturais utiliza-se quase que exclusivamente do método experimental. (LEÃO, 2017).

Metodologia da Pesquisa Explicativa

A pesquisa explicativa registra, analisa e interpreta os fenômenos estudados, procurando identificar suas razões, seus fatores determinantes, suas causas. Embora esteja mais sujeita a erros, é o tipo de pesquisa que aprofunda o conhecimento da realidade e, por isso, fundamenta o conhecimento científico. A maioria das pesquisas explicativas utiliza o método experimental, caracterizado pela manipulação e controle das variáveis, com o objetivo de identificar qual a variável independente que determina a causa da variável dependente ou do fenômeno em estudo. Assume, em geral, a formas de Pesquisa Experimental e Pesquisa Ex-post-facto. (ASSIS, 2009).

Segundo Gil (2019), pode-se dizer que o conhecimento científico está assentado nos resultados oferecidos pelos estudos explicativos. Isso não significa, porém, que as pesquisas exploratórias e descritivas tenham menos valor, porque quase sempre constituem etapa prévia indispensável para que possam obter explicações científicas. Uma pesquisa explicativa pode ser a continuação de outra descritiva, posto que a identificação dos que determinam um fenômeno exige que este esteja suficientemente descrito e detalhado.

Quando realizada nas ciências naturais, requer o uso do método experimental e, nas ciências sociais, requer o uso do método observacional. As pesquisas explicativas são mais complexas, pois, além de registrar, analisar, classificar e interpretar os fenômenos estudados, têm como preocupação central identificar seus fatores determinantes. Esse tipo de pesquisa está mais sujeito a erros.

A maioria das pesquisas explicativas utiliza o método experimental, que possibilita a manipulação e o controle das variáveis, no intuito de identificar qual a variável independente que determina a causa da variável dependente, ou o fenômeno em estudo.

Nem sempre é possível realizar pesquisas rigorosamente explicativas em ciências sociais, mas, em algumas áreas, sobretudo na psicologia, as pesquisas revestem-se de elevado grau de controle, sendo denominadas de pesquisas “quase experimentais”. As pesquisas explicativas, em sua maioria, podem ser classificadas como experimentais ou ex-post-facto (temos um experimento que se realiza depois do fato). (PRODANOV; FREITAS, 2013).

As pesquisas explicativas vão além da descrição de conceitos ou fenômenos do estabelecimento de relações entre conceitos; ou seja, são responsáveis pelas causas dos eventos e fenômenos físicos ou sociais. Como seu próprio nome diz, seu principal interesse é explicar por que um fenômeno ocorre e em que condições ele se manifesta, ou por que duas ou mais variáveis estão relacionadas.

As pesquisas explicativas são mais estruturadas do que as demais pesquisas com os demais alcances e, de fato, envolvem os propósitos destes (exploração, descrição e correlação ou associação), além de proporcionarem um sentido de entendimento do fenômeno a que fazem referência.

Às vezes uma pesquisa pode ser caracterizada como basicamente exploratória, descritiva, correlacional ou explicativa, mas não estar unicamente posicionada como tal. Isto é, ainda que uma pesquisa seja em essência exploratória ela irá conter elementos descritivos; ou ainda, um estudo correlacional pode incluir componentes descritivos, e o mesmo acontece com os demais alcances.

Também devemos lembrar que uma pesquisa pode começar sendo exploratória ou descritiva e depois ser correlacional ou até mesmo explicativa. Tudo depende dos objetivos do pesquisador. (SAMPIERE; COLLADO; LUCIO, 2013).

Exemplos de Pesquisa Explicativa

Por exemplo, mostrar as intenções do eleitorado é uma atividade descritiva (indicar, de acordo com uma pesquisa de opinião realizada antes da eleição, quantas pessoas “irão” votar nos candidatos é uma pesquisa descritiva), e relacionar essas intenções com conceitos como idade e gênero dos votantes ou a extensão do esforço propagandístico realizado pelos partidos dos candidatos (estudo correlacional), é diferente de mostrar por que alguém poderia votar em determinados candidatos e outras pessoas nos demais candidatos (pesquisa explicativa).

Fazendo novamente uma analogia com o exemplo do psicanalista e seus pacientes, na pesquisa explicativa é como se o médico dissesse por quais razões Ana e Luís se trata de tal maneira (não como se tratam, porque isso corresponderia a um nível correlacional). Supondo que conduzissem “bem” seu casamento e a relação fosse percebida por ambos como satisfatória, o médico iria explicar por que isso acontece dessa maneira. Além disso, ele iria explicar por que realizam certas atividades e passam determinado tempo juntos.

No nível cotidiano e pessoal, seria como pesquisar porque uma jovem gosta tanto de ir dançar, por que um edifício foi incendiado ou por que um atentado terrorista foi realizado. (SAMPIERE; COLLADO; LUCIO, 2013).

Objetivos da Pesquisa Explicativa

A pesquisa explicativa apresenta como objetivo primordial a necessidade de aprofundamento da realidade, por meio da manipulação e do controle de variáveis, com o escopo de identificar qual a variável independente ou aquela que determina a causa da variável dependente do fenômeno em estudo para, em seguida, estudá-lo em profundidade. (PRODANOV; FREITAS, 2013).

A pesquisa explicativa tem por objetivo aprofundar o conhecimento da realidade, procurando a razão, o “porquê” das coisas; por isso mesmo está mais sujeita a cometer erros. Contudo, pode-se afirmar que os resultados das pesquisas explicativas fundamentam o conhecimento científico. (ANDRADE. 2017).

Segundo Gil (2019) as pesquisas explicativas têm como propósito identificar fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência de fenômenos. Estas pesquisas são as que mais aprofundam o conhecimento da realidade, pois têm como finalidade explicar a razão, o porquê das coisas. Por isso mesmo, constitui o tipo mais complexo e delicado de pesquisa, já que o risco de cometer erros eleva-se consideravelmente.

As pesquisas explicativas têm como propósito identificar fatores que determinam ou contribuam para a ocorrência de fenômenos. Estas pesquisas são as que mais aprofundam o conhecimento da realidade, pois têm como finalidade explicar a razão, o porquê das coisas. Por isso mesmo, constitui o tipo mais complexo e delicado de pesquisa, já que o risco de cometer erros eleva-se consideravelmente.


ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à Metodologia do Trabalho Científico. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

ASSIS, Maria Cristina de. Metodologia do Trabalho Científico. In: Evangelina Maria B. de Faria; Ana Cristina S. Aldrigue. (Org.). Linguagens: usos e reflexões. 3. Ed. João Pessoa: Editora Universitária UFPB, 2009. Disponível em: <http://biblioteca.virtual.ufpb.br/files/metodologia_do_trabalho_cientifico_1360073105.pdf> Acesso em: 13 mar. 2018.

GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

LEÃO, Lourdes Meireles. Metodologia do Estudo e Pesquisa: facilitando a vida dos estudantes, professores e pesquisadores. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

PRODANOV, Cleber Cristiano.; FREITAS, Ernani Cesar de Freitas. Metodologia do Trabalho Científico

: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. SAMPIERI, Roberto Hernandéz.; COLLADO, Carlos Fernandéz; LUCIO, María del Pilar Baptista. Metodologia da Pesquisa. Tradução: Daisy Vaz de Moraes. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013

error: O conteúdo deste site tem direitos autorais

Send this to a friend